Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Autor curitibano publica obra baseada em grandes escritores da fantasia

No último dia 08, o autor Diego Binkowski – D. S. Binkowski – lançou seu primeiro trabalho, o livro “Os senhores do tempo – A espada, o espelho e o relógio”, nas Livrarias Curitiba. A obra, que leva o gênero aventura-fantasia, conta a história do adolescente Thiago, um mago meio elfo, que juntamente com seus quatro amigos desaparecem em meio aos lados obscuros do império de Hiskalnaríh, no mesmo instante uma guerra política assola a região. Diego contou ao Recorte Lírico quais foram suas influências e como ele enxerga o mercado editorial atual, além de seus planos futuros na carreira literária.
RL – Queremos saber um pouco de você, da sua formação e carreira.
Diego – Sou formado em História e quero começar uma nova graduação. Penso em cursar Letras, Direito ou Ciências Sociais (risos), estou um pouco indeciso quanto a isso. Há pouco tempo resolvi sair do meu emprego em um banco, para me dedicar exclusivamente à carreira literária. Eu estava deixando de participar de muitos eventos e qua…

Os youtubers dominam o mercado editorial

Não é de hoje que os jovens têm galgado lugares relevantes no mercado editorial brasileiro. Não faz muito tempo que sucessos como Harry Potter, todas aquelas sagas sobre vampiros, e os mais recentes livros para colorir tomaram conta das prateleiras das livraras Brasil afora. Pois bem, a nova onda de sucesso, no mundo inteiro, são os vlogueiros da internet, os famosos youtubers.
No levantamento de 2015 do site PublishNews, aponta que dois dos 10 livros mais vendidos foram assinados por esses autores, o livro Muito mais que cinco minutos, de Kéfera Buchmann, superou a marca de 190 mil cópias vendidas. No levantamento parcial desse ano, do mesmo site, aparecem outros títulos, como Dois mundos, um herói, de Pedro Rezende, já vendeu quase 90 mil.
A curadora da Bamboo Editorial Aloma Carvalho afirma que “Se impressiona com a qualidade do texto que os youtubers usam como base. Não perde em nada para uma crônica”. Na opinião da curadora, “O livro é um pretexto para eles estarem mais próximo do…

André Malta fala sobre Literatura Grega e a compara com Game of Thrones e Breaking Bad

O Recorte Entrevista dessa semana está clássico! Entrevistamos o professor André Malta (46), que fez estudo sobre o Canto 24 da Ilíada no mestrado, trabalhou em uma interpretação do mesmo poema no doutorado e fez livre docência em 2013 sobre a oralidade em Homero, sempre em Grego Antigo, pela USP. É autor do livro “A selvagem perdição” (a interpretação de Ilíada), de diversos artigos, além de lecionar Língua e Literatura Grega na FFLCH-USP desde 2001. André nos contou um pouco sobre os seus estudos temáticos e comparativos da épica grega, além da atual pesquisa no outro poema de Homero, a Odisseia. O professor ainda fez comparações da literatura clássica com a contemporânea, com uma visão moderna, e opinou sobre a formação de leitores, os best-sellers, entre outros assuntos interessantíssimos, que você, caro leitor, confere agora com exclusividade.
RL – Como o professor é um pesquisador e especialista em Homero, não poderíamos começar com outra pergunta que não fosse a respeito de sua…

Conheça o romance francês com mais de 220 páginas que não utiliza a letra E

O escritor francês Georges Perec (1936 – 1982) fez o inimaginável em sua obra “O Sumiço”, publicada pela primeira vez em 1969: escreveu um romance inteiro sem a letra E. O livro foi recentemente traduzido (pela primeira vez) para o português por José Roberto Féres, o Zéfere, mestre em literatura comparada pela Sorbonne, em tradução literária pela Paris 8, doutor em literatura e cultura pela UFBA, professor e também poeta.

A narrativa, lançada aqui pela Autêntica, conta a história do sumiço de Anton Voyl, um entusiasta de jogos de palavras. Não por acaso, evidentemente, a vogal mais utilizada na língua francesa também desaparece das páginas da obra. “A ambição do 'Scriptor', o propósito, digamos, o alvo, sua visada contínua, foi, acima de tudo, criar um produto final tão original quanto instrutivo, um produto apto a propulsionar ou, quiçá, a vir a proporcionar um impulso instigador à construção, à narração, à fabulação, à ação, ou, digamos, numa palavra, ao padrão da narrativa …

Litercultura terá oficinas gratuitas durante o festival

O Litercultura 2016 está com a programação repleta de atrações para leitores e para quem já se aventurou ou pretende se aventurar na literatura. Além da programação oficial, a Programação Parceira possibilita um mergulho mais profundo na diversidade dos gêneros literários. Desde 2015, as oficinas da programação paralela do Litercultura são organizadas pela Esc. Escola de Escrita. A novidade deste ano é que todas elas acontecerão na sede da Escola, no centro de Curitiba. A programação começa na próxima quinta, 25/08, às 9h, com aulas abertas, oficinas e bate-papos. Ainda é possível fazer a inscrição para as atividades. Confira a programação abaixo:
25/08, 9h | Literatura Quebradiça, cadê o gênero, com Julie Fank Faz sentido falar em gênero, em fronteiras, em divisões formais quando o assunto é literatura pós-moderna? Quando o assunto é experimentação, a criação literária é a forma mais permeável ao intertexto, ela se vale da colagem, da música e da própria literatura para produzir resson…

Curitiba tem Semana Cultural voltada a profissionais da educação

Começa hoje (22), a 7ª edição da Semana Cultural, voltada aos servidores da rede municipal de ensino, da Fundação Cultural de Curitiba e representantes da comunidade. Até 27 de agosto, serão ofertados gratuitamente 28 mil lugares para aproximadamente 250 espetáculos nas diferentes linguagens artríticas. A abertura do evento será às 14 horas, no Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto, no Teatro Guaíra, com apresentação do “Coral Brasileirinho”.
A programação inclui shows de música, dança, teatro, oficinas de quadrinhos, entradas para exposições e outras manifestações artísticas. “Esta semana, mais uma vez, vem trazer um variado repertório de apresentações. É um exercício de valorização das artes e dos saberes culturais, para ampliação do processo de formação”, diz a secretária municipal da Educação, Roberlayne Borges Roballo. As apresentações acontecerão em mais de 30 espaços da cidade. A Semana Cultural é promovida desde 2013 como parte do projeto EduCultura, desenvolvido em parceria entr…

Lucas Buchile lança primeira obra com temas infantojuvenis

O autor curitibano Lucas Buchile lançou no dia 05 de março o seu primeiro livro, o “Enquanto eu crescia”, na IV Festa Literária da Editora Inverso. O livro narra a história de um menino que tinha o desejo de ser grande, que tinha olhos de girassóis e bichos na barriga. Buchile nos contou em um bate-papo como começou a escrever histórias infantojuvenis, com forte carga emocional presente no enredo da trama. Além de falar do livro, o autor nos confidenciou histórias familiares que o motivaram a sair um pouco do teatro, no qual é ator e diretor, e ingressar de vez na arte da escrita, ao qual já tem certa familiaridade atuando como contador de histórias. 

RL – Para iniciar, queremos saber um pouco do Lucas, sua carreira como ator e quando começou a produzir literatura infantojuvenil. Buchile – Então, eu nunca trabalhei diretamente com a produção literária, eu tenho formação em artes cênicas, fiz uma primeira graduação em interpretação teatral e outra em direção, mas desde cedo eu já traba…

Designer cria livro que também é quebra-cabeça

A única parte ruim de encontrar um livro muito bom é aquela sensação de que ele acabou mais rápido que deveria. Certamente não será o caso do Codex Silenda, feito pelo designer Brady Whitney: mesmo que o livro tenha só cinco páginas, você precisará resolver um complexo quebra-cabeça mecânico em cada uma delas para poder passar para a próxima.

Feito inteiramente em madeira cortada a laser, o Codex Silenda é metade livro e metade quebra-cabeça. Dentro de suas páginas, há pequenas histórias sobre um aprendiz de Leonardo Da Vinci que se depara com um livro similar, que na verdade é uma armadilha criada pelo artista. O seu objetivo é ajudá-lo a escapar. A única coisa em risco aqui é sua sanidade ao montar todos os quebra-cabeças.

O criador do Codex Silenda pretende produzi-lo em massa – mas numa edição limitada – e abriu umacampanha de financiamento coletivo no Kickstarter. Neste momento, ele já arrecadou US$ 150 mil, cinco vezes mais do que o objetivo inicial. Uma cópia desmontada do livro p…

12 filmes brasileiros baseados em clássicos da literatura nacional

Fala amigos recorteiros! Devido ao sucesso das listas de indicações do Projeto Recorte Lírico, resolvemos trazer dessa vez doze filmes que foram baseados em clássicos da nossa literatura. Vale salientar, antes de tudo, que não apoiamos assistir unicamente os filmes e não desfrutar da literatura, que é a base de tudo, e por esse motivo é mais completa. Agora, se o seu objetivo é complementar sua visão a cerca do romance, ou até mesmo desfrutar da história com outro olhar, pois às vezes isso acontece, a recomendação é muito válida. São 12 títulos incríveis, e algumas adaptações são incríveis. Todas têm o link encaminhando ao filme no Youtube (nem sempre a qualidade do vídeo é boa), clique na imagem ou no link no final para ser direcionado. Bom filme! 
12 – Capitães de Areia – Jorge Amado
O filme dirigido por Cecília Amado, neta do Jorge Amado, foi lançado em 2011 e sua teve relativo sucesso nos cinemas. A adaptação, muito boa por sinal, foi toda filmada na cidade de Salvador, igualmente a…

Ilustres desconhecidos da poesia brasileira: Sérgio Rubens Sossélla

O Paraná, apesar do modesto investimento em cultura por parte de seu Governo, é solo fértil de artistas, sobretudo na poesia. De Júlia da Costa a Paulo Leminski, a poesia paranaense – em âmbito nacional – ainda carece de reconhecimento. Nomes como Colombo de Sousa, Dario Vellozo e Walmor Marcelino perderam-se no tempo. Ademais, cabe citar a poesia marginal do movimento "Sala 17" - fundado na década de 1970 por Antonio Thadeu Wojciechowski, L. Scherner e Roberto Bittencourt - em pleno exercício dos militares no poder do país. Os ilustres anônimos são muitos. O que houve com o trabalho do ex-juiz e poeta Sérgio Rubens Sossélla não foi diferente. 
Magistrado, poeta e crítico literário, Sossélla nasceu em Curitiba no dia 27 de fevereiro de 1942. Graduado em Direito na Universidade Federal do Paraná, atuou como juiz em alguns municípios do Estado, vindo a aposentar-se, a pedido, em 1986. Após o desligamento das atividades jurídicas, dedicou-se única e exclusivamente à literatura.
M…

Recorte Lírico reúne escritores anônimos no Jardim Botânico de Curitiba

O Projeto Recorte Lírico reuniu nessa manhã de dia dos pais, escritores de todas as partes da cidade e de variados estilos e temas. Os autores anônimos foram convidados a recitar seus poemas, além de compartilhar suas experiências literárias, tanto com a escrita, quanto na leitura. Alvaro Posselt, poeta dos haicais, foi o grande convidado do projeto para mediar o bate-papo. Além dos convidados que estavam no local, crianças e adultos que passeavam pelo parque foram motivados pela curiosidade a participar da roda literária. O encontro foi o primeiro de uma "maratona literária" que será realizada mensalmente pelo projeto. O segundo deve acontecer na Praça do Japão (à confirmar). 

Clique na imagem para acessar o álbum de fotos do encontro