Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

5 obras para entender a relação entre doença e diferentes culturas, por Michel Laub

Michel Laub, jornalista e escritor brasileiro, indica 5 obras para entender a relação entre doença e diferentes culturas.
O tema da doença e de suas simbologias culturais sempre me interessou. É inevitável que, ao escrever um romance que (também) trata disso, como "O Tribunal da Quinta-Feira", algumas obras tenham me ajudado a dar forma ficcional a essa reflexão. Algumas delas:


Longe da árvore
Andrew Solomon
Como em seu ótimo tratado sobre depressão, “O demônio do meio dia”, e tendo como centro histórias de filhos radicalmente diferentes dos pais, o autor investiga as relações entre patologia e identidade misturando ciência, cultura e relato pessoal.
A doença como metáfora
Susan Sontag
Ensaio clássico em que, também a partir de um relato pessoal, a autora sintetiza as ressonâncias simbólicas do câncer na história, nos costumes e na linguagem, o que mais tarde ela faria em relação a outra doença estigmatizada em “Aids e suas metáforas”.
Para o amigo que não me salvou a vida
Hervé Guib…

Ana Rapha Nunes lança 'Mariana' no Fábrica Cafeteria

A escritora carioca, Ana Rapha Nunes, lançou no último sábado (17) o livro "Mariana" no Fábrica Cafeteria, um dos mais prestigiados espaços gourmet de Curitiba. O romance, que já tá pra lá de comentado em todo o Brasil, narra a história da menina Mariana, suas aventuras e descobrimentos da adolescência, com um pano de fundo ímpar, que é a tragédia que ocorreu na cidade mineira no ano passado. 

"O café Mariana traduz um pouco da obra, sua densidade, a cor semelhante à lama e ainda o doce de leite como ingrediente típico de Minas", disse Ana, apaixonada pelas histórias infantojuvenis. "É uma alegria essa parceria com a Fábrica Cafeteria ao ver a minha obra literária inspirar um café delicioso. Nada como beber um saboroso café e se deliciar com as páginas de um livro", completou. 

O evento, batizado como "Varanda Cultural", foi idealizado pela sócia-proprietária do café, Bru Gonçalves, e já conta com a forte participação do público-leitor curitibano.…

“Literatura não precisa viver longe do entretenimento”, diz revelação do suspense policial brasileiro

Quando se olha para o currículo de Raphael Montes, a lista de feitos do escritor não parece bater com sua idade. Aos 26 anos, o autor carioca, que também escreve roteiros para televisão e cinema, está lançando seu quarto livro. Jantar Secreto, aposta da Companhia da Letras para o fim de ano, conta a história de quatro jovens moradores da Zona Sul do Rio de Janeiro que, desesperados para sanar uma grande dívida causada por um deles, resolvem iniciar uma empreitada na alta gastronomia carioca. A peculiaridade está no cardápio: a carne humana é o principal ingrediente. O que poderia ser apenas uma solução rápida se transforma em um perigoso hábito que vai modificar definitivamente a vida de Dante, Victor Hugo, Miguel e Leitão, envoltos em esquemas de tráfico de corpo, higiene social e matadouros clandestino.
“A grande ferramenta das minhas histórias é o ser humano. Gosto de explorar a questão de que não existe o conceito de pessoas boas ou pessoas más. Os seres humanos são humanos em su…

Embaixador croata lança livro de poemas no Brasil

A poesia é um gênero literário que manifesta beleza, estética e harmonia em formas de palavras. Foi buscando expressar o sentimento de presença profunda e inebriante do ser humano que o escritor Drago Stambuk, ex-embaixador da Croácia no Brasil, apresenta sua nova obra “O mar não está mais”.  A obra será publicada em dezembro pela Editora Penalux e conta com uma coletânea de poemas que evocam a imagem do mar, que está e não está, dentro de suas ondas eternamente em movimento, provocando a intensa sensação de presença enorme e viva, mas que logo desaparece.

        Segundo o autor, o principal objetivo dos poemas é perpassar por várias paisagens do mundo, assim como da própria Croácia, para edificar em todos os cantos a mesma sensação, costurada pelos oceanos.         - A minha poesia é inconstante e profunda, mas, acima de tudo, viva. A ideia do livro é de estar e não estar, o movimento, a presença e a existência, o fluxo contínuo e humano da nossa realidade - reforça Drago.         Para …

O pai e o filho eterno – por Verônica Daniel Kobs

Verônica Daniel Kobs*
Como resultado de um processo natural e involuntário, todo artista torna-se vítima de si próprio. O sucesso, na pintura, na tevê, na literatura ou em qualquer outra arte, faz com que o público crie para o artista um personagem que deve entrar em cena sempre que ele estiver fora de sua esfera privada. O artista parece ganhar as qualidades do conjunto de sua obra e, como todo fã vê mais qualidades que defeitos, o artista se transforma quase em um super-herói. A ideia de que, depois de voar, salvar mocinhas indefesas e combater o crime, ele volta a ser o atrapalhado Clark Kent é sempre estranha; quase inaceitável. Ana Cristina Cesar, no livro Literatura não é documento, analisou alguns filmes sobre escritores e seus textos. Um deles, sobre Manuel Bandeira, mostrava a rotina não do escritor, mas do homem comum. Ele calçava os sapatos, saia para comprar pão, etc., etc. Evidente que o público estranhou: “Ele escreve e ainda faz todas essas coisas triviais?” A resposta …